Pantanal, simplesmente pantanal.

Todas as postagens serão especias, mas a primeira (de algum local visitado) deveria ser algo marcante em nossas vidas, tão significativa como escrever um blog. Umas das nossas descobertas favoritas: Pantanal Sul. Um lugar que todo brasileiro deveria conhecer.

O Pantanal é único. Nunca vimos nada igual e aqui nos referimos no todo: fauna, flora, o céu e o povo. Um fato constado lá é a grande presença de estrangeiros e pouquíssima de brasileiros. Afinal, não vemos tanta divulgação assim, além da tendência de muitos brasileiros em não valorizar o que é nosso. No Pantanal presenciamos, com a famosa cara de paisagem de quem não tem como adentrar na conversa, o papo de um alemão com um suíço sobre a diferença da fauna e da flora em diversos biomas brasileiros. Eles conheciam muito bem o nosso país.

O Pantanal é aquilo que é. Essa é a atração. É belo. Não há comodidades construídas, lugares feitos só para o turista visitar. A proposta é conhecer o local exatamente como ele se apresenta. Não há entrada e saída nos atrativos, é um todo completo de emoções.

10730778_733703226703807_8037176425186576203_n

Há alguns passeios das cidades próximas ao Pantanal que  levam o visitante para passar um dia no local, porém dormir, acordar e viver alguns dias no ritmo pantaneiro é uma experiência incrível. Recomendamos: fique hospedado em uma fazenda da região. Assim você ficará imerso em um ambiente encantador e poderá contemplar duas grandes experiências pantaneiras: o pôr do sol e o céu estrelado.

O Pantanal não é o tipo de lugar recomendável para se chegar chegando, olhar no mapa um ponto e sair andando sozinho ou com um grupo de amigos que não conhecem o local. Até porque desconhecemos a existência de mapas com atrativos, o estar no todo é a atração. O conceito de caminho e trajeto a ser percorrido é bem diferente dos encontrados na mata atlântica, por exemplo. A vegetação do pantanal é aberta. Podemos andar para qualquer lado, assim como ser visto por qualquer outro animal (em nenhum outro bioma que estivemos conseguimos observar tantos animais como lá) É necessário alguém do local ou um pacote de uma fazenda que propicie passeios e vivências pela região. Desesperado porque precisará pagar um pacote com guia e isso pode sair caro? Não se preocupe: é muito barato! Chega a ser assustador o que cobram se comparado com outras regiões do Brasil.

O Pantanal tem uma magia inexplicável. Para os amantes de aves um paraíso, tucanos, araras (inclusive as azuis, a nossa preferida), tuiuiú (a ave símbolo do pantanal) fazem parte das paisagens rotineiras. Jacarés em todos os cantos, mas eles não saem correndo atrás da gente. O único animal que temem é a onça pintada, principalmente se ela estiver com o filhote.

Dentre muitas coisas belas, sem dúvida o mais marcante é o céu. Somos apaixonados pelas cenas de pôr do sol, a do Pantanal é algo que nunca vimos igual. O sol parece extremamente grande, vivo e perto. Não é uma bolinha distantes sumindo lá longe, na verdade parece que ele está há alguns passos da gente. Depois do pôr do sol, o anoitecer apresenta um céu extremamente estrelado, parece não haver pontinhos vazios no céu, de arrancar lágrimas dos mais emotivos.

10245308_733702096703920_4380658540826705316_n

E o dia-a-dia na fazenda… Acordar cedo. Tomar aquele café da manhã com pãozinho caseiro. Caminhar, navegar, cavalgar pelo pantanal, deitar na rede e contemplar as revoadas de araras. Para fechar a noite uma roda de viola em torno da lareira ou um forrozinho no rádio com o céu estrelado. Por forrozinho entenda-se: nós dois, o rádio e as estrelas.

Nossa viagem ao pantanal fez parte do roteiro da nossa lua de mel. Quando estivemos no pantanal ficamos na Fazenda Santa Clara. Lá eles oferecem pacotes com alimentação e passeios de manhã, tarde e noite. Comida caseira e com gostinho de fazenda, tempo para curtir a rede contemplando as aves e guias para nos acompanharem em experiências. Pescamos piranha (e comemos depois o caldinho, típica comida da região), fizemos caminhadas com direito a travessia de partes alagadas, andamos de cavalo, de barco e fizemos focagem noturna de animais.

Como ir:

De avião até o aeroporto de Campo Grande. Lá é possível alugar um carro ou contratar um transfer.

Quando ir?

Há períodos de secas e períodos de cheias, mas com as mudanças climáticas isso tem saído um pouco do padrão normal. Fomos em um período que era para estar mais seco, mas ainda estava inundado.

Dica? Combinar a visita ao Pantanal Sul com Bonito. Bonito fica a 134 km de Miranda, a cidade que é a entrada do Pantanal.

Onde ficar?

Recomendamos a Pousada Santa Clara. Quartos privativos, coletivos e área para camping. Tudo simples e com um atendimento maravilhoso.

http://www.pantanal-pousadasantaclara.com.br/